Espaço Della Vita

Com pouco mais de quatro meses de funcionamento, a Casa de Acolhida Coração de Rua, localizada em Herval d’ Oeste, já tem do que se orgulhar. Graças ao trabalho realizado no local, os primeiros cinco moradores de rua a completarem o ciclo de acolhimento no local, deixaram o vício do álcool e mudaram de vida.

O primeiro dos moradores a se recuperar foi um rapaz que é natural de Blumenau, mas estava há algum tempo morando em Joaçaba. Hoje estando recuperado, ele voltou para Blumenau e está na companhia da família. Já os outros quatro casos, se referem à pessoas de Joaçaba e Herval d’ Oeste, todas que apesar de querer mudar de vida, não encontravam uma forma de recomeçar, agora tiveram uma oportunidade.

publicidade
Colmeia – Últimas Notícias
Espaço Della Vita

“Um dos acolhidos nos contou que fazia mais de 20 anos que não mantinha contato com sua família. Aliás, com todos é mais ou menos assim. Em alguns casos eles acabam indo pra rua e depois por vergonha já nem procuram mais os parentes. Em outros, a própria família desiste de tentar ajudá-los. Mas, aos poucos tentamos aproximar o acolhido de sua família, pois acreditamos que assim ele encontra mais força para seguir em frente”, comentou Daniel Nunes, que trabalha como voluntário na casa.

No entanto, o trabalho de aproximação não é fácil. O processo exige paciência e tem que ser feito com muita compreensão, já que muitos quando chegam no local, nem se quer querem falar de suas famílias. Para tentar mudar isso, eles conversam com uma psicóloga e através da vivência religiosa vão redescobrindo a importância dos laços familiares.

“Aos poucos eles se sentem mais à vontade e nos passam algum contato ou meio de chegar à algum parente. Telefonamos e até levamos eles para visitar seus familiares. No começo, teve família que ficou ressabiada, mas, foi também entendendo o trabalho. Já outras, se admiraram de ver seu ente bem cuidado e buscando melhorar, e por isso deram um voto de confiança”, explicou Daniel.

Hoje  estão acolhidos na casa oito moradores de rua e os voluntários tem trabalhado da mesma forma com eles “Alguns deles não conseguimos reaproximar da família, por isso não tem para aonde ir ainda. Nesse caso, mantemos aqui enquanto tentamos colocá-los no mercado de trabalho para que possam, se sairem sozinhos, ter como se manter”, relatou Daniel. Por fim, como forma de acompanhar como estão vivendo depois que saem da casa, os voluntários telefonam períodicamente para as famílias ou fazem visitas nos locais para onde foram.

“Os resultados que temos conseguido mostram que é possível sim, dar um novo sentido à vida dessas pessoas, por isso, queremos agradecer a todos que tem colaborado para manter a casa funcionando e pedir que continuem nos auxiliando, porque isso é fundamental”, finalizou Daniel, voluntário da Casa.

Quem quiser continuar colaborando pode doar principalmente materiais de higiene pessoal e limpeza, que no momento são a maior necessidade, Além de qualquer valor em dinheiro para ajudar nas despesas fixas da casa.

Doações de qualquer valor podem ser feitas da seguinte forma:

Banco Sicredi

Agência 0217

Conta Corrente: 41190-0

Fonte: Portal Éder Luiz

Unifique – Últimas Noticias

2 COMENTÁRIOS

    • Que Deus abençoe esse projeto, mas lembrando que não tem nada envolvendo igreja nem pastor.. Acompanho desde o começo e sei do trabalho que é feito por uma familia.

Deixe uma resposta