CEPAC – 11 Notícia Superior – 2016-11-01

A Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) está vendo com bons olhos a notícia de que a HAVAN vai implantar uma megaloja em Joaçaba. O empresário Marcelo Risson, presidente da CDL, recebeu a informação nesta quinta-feira (18) durante a 47ª Convenção Estadual do Comércio Lojista que está acontecendo em Florianópolis no Costão do Santinho. Nos últimos dias surgiram muitos boatos a respeito do empreendimento e a CDL, com cautela, aguardava uma oficialização para se manifestar, o que acabou ocorrendo esta semana.

No entendimento de Marcelo Risson a implantação da HAVAN vai fortalecer ainda mais o comércio já que muitos consumidores da região, em razão de mais este atrativo, virão para Joaçaba fazer compras no comércio de uma forma geral, não apenas nesta nova loja. “A gente sempre desenvolve ações e trabalha para consolidar ainda mais Joaçaba como polo regional e eu acredito que a HAVAN vem contribuir neste aspecto” destacou Risson.

publicidade

Flexibilização do horário

O presidente da HAVAN, Luciano Hang, deixou claro na entrevista que pretende manter a loja funcionando das 09 às 22h. Pela atual legislação esse horário não será possível. Segundo ele já foram mantidos contatos com a prefeitura para mudar a legislação, viabilizando desta forma o empreendimento, pois ele não estaria disposto a fazer o investimento de mais de R$ 20 milhões em um município onde existe limitação de horário de funcionamento.

O presidente da CDL, Marcelo Risson, deixou claro que o horário é regulamentado pelo município através de acordos que são firmados entre os Sindicatos Patronal e dos Empregados. “A CDL não define horários, eles são definidos por lei” salientou. Em determinadas datas, como por exemplo o Natal, a CDL apenas sugere horários, mas a definição final é dos sindicatos.

Concorrência

Ao contrário de comentários que surgiram esta semana nas redes sociais, a CDL não é contra a vinda da HAVAM. “Muitas pessoas acham que a CDL é contra ou o comércio, mas isso tudo é uma inverdade e fantasia” destacou Marcelo Risson. Na avaliação dele a megaloja não vai provocar quebradeira de pequenos negócios. “Temos exemplos dos grandes mercados quando chegaram aqui e muitos pensavam que seria prejudicial e o tempo mostrou ao contrário”. Para Risson alguns empresários vão precisar sair da zona de conforto, buscando melhorar ainda mais seus negócios. “Já somos um polo regional e queremos ser um polo regional ainda mais atrativo” finalizou o presidente da CDL.

fonte: Marcelo Santos/Ascom CDL

CEPAC – 11 Notícia Superior – 2016-11-01

3 COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta