"Larfiagem" vira patrimônio cultural de Herval d' Oeste

Idioma criado nos anos 1950 na estação de trem de Herval d'Oeste ganha reconhecimento público.

, 2.719 visualizações
Fotos: Divulgação
Fotos: Divulgação

Meninos que perambulavam na estação de trem de Herval d' Oeste, foram responsáveis pela criação da “Larfiagem” ou “Hervalês”. Um linguajar autêntico criado pelos maleiros e engraxates de Herval d' Oeste e Joaçaba, em meados da década de 1950. O local era passagem obrigatória para quem era do Oeste e da Serra e queria viajar para estados como Rio Grande do Sul, Paraná e São Paulo.

A forma peculiar de comunicação entre os garotos que prestavam serviços na antiga estação ferroviária agora é reconhecida como patrimônio cultural hervalense. Porque de lá para cá o dialeto vem sendo transmitido de geração em geração, provocando curiosidade e promovendo integração.

Muito além de uma simples gíria, o “Hervalês” caracteriza-se como um “Socialeto”, uma espécie de criptografia que significa a maneira de falar de um grupo social particular, similar a outras criptografias como o Verlan Frances, o Cockney Londrino e o Lunfardo Argentino e Uruguaio.

Tanto que o dialeto virou tema de filme, com direção da artista hervalense Gabi Bresola. Mostrando que em meio a esse movimento, alguns garotos - que trabalhavam no local - começaram a usar gírias e a inventar palavras pra se comunicar entre si. E assim nasceu a "larfiagem", para despistar a polícia, que não queria saber da criançada circulando na estação.

Com depoimento de crianças da época, hoje senhores de idade, o filme resgatou a língua e dinâmica bem simples: muitas palavras são faladas de trás pra frente e a injetadas muitas letras. 

Na noite desta segunda-feira (29), o prefeito em exercício Mauro Martini, fez a entrega do reconhecimento do decreto nº.3.979/2019 que declara a Larfiagem como Patrimônio Imaterial de Herval d' Oeste da Larfiagem, ao Conselho Municipal de Políticas Culturais. O ato solene ocorreu na Câmara de Vereadores de Herval d'Oeste. Destacando a exibição do filme produzido pela hervalense Gabi Bresola, bem como informações sobre o registro e futuras ações visando o reconhecimento no âmbito estadual e nacional.

Fotos: Divulgação
Fotos: Divulgação

De acordo com Luiz Fernando Spessato, integrante do Conselho Municipal de Políticas Culturais, o ato é um importante ato para a salvaguarda desse divertido linguajar que é muito NOSSO! "De acordo com as definições acadêmicas, uma língua é um código, um conjunto de sons e sinais convencionados por dados agrupamentos sociais para a transmissão de mensagens e reflete circunstâncias históricas, culturais e sociais do povo que dele se vale para a comunicação".

Fonte:

Paula Patussi

Comentários

O Portal Éder Luiz se exime de qualquer responsabilidade por comentários postados por seus leitores. Os comentários não representam a opinião do Portal e toda responsabilidade está a cargo de quem os postar.

Notícias relacionadas