Alergias e primavera, como melhorar a convivência entre elas

Dados da OMS apontam que 35% dos brasileiros possuem algum tipo de alergia.

, 1.402 visualizações
Alergias e primavera, como melhorar a convivência entre elas

Oficialmente a primavera começou nesta quarta-feira (22), porém para muitas pessoas a nova estação já estava presente no dia a dia. É comum nesta época do ano, as alergias se manifestarem com maior intensidade, devido a polinização que é característica neste período, e que é inevitável. Segundo a Organização Mundial de Saúde, as alergias afetam 35% da população brasileira.

Somente as alergias respiratórias mais comuns nesta época atingem em torno de 40% da população em todo o mundo, segundo dados da Organização Mundial da Alergia. No Brasil, a mais popular é a rinite, seguida da asma, interferindo diretamente na vida de 20% dos brasileiros.

A boa notícia é que esses sintomas como coriza, espirros, sensação de nariz e garganta secos, podem ser amenizados com ações do dia a dia. De acordo com o Otorrinolaringologista da Paraná Clínicas, Dr. Yasser Jebahi (CRM 18912. RQE 15093), algumas dicas podem diminuir o desconforto das alergias.

Hidratação

Uma das características do início da primavera, é o longo período de seca e a baixa umidade do ar. Para o médico, é preciso “a ingestão hídrica 1,5 a 2 litros ao dia, além da hidratação da cavidade nasal com soro fisiológico e higienização correta das máscaras, para que assim, as crises sejam amenizadas e haja maior conforto das vias aéreas”, destacou.

Atitudes em casa

Manter uma rotina de limpeza dos espaços é essencial para que as crises não se tornem rotina. Além disso, é necessário que lençóis, fronhas, cobertores, edredons, sejam trocados ao menos uma vez por semana. Outra dica importante é utilizar umidificadores em casa, devidamente limpos, além de manutenção rotineira em ares condicionados tanto de veículos quanto residenciais.

Evite objetos que possam piorar as crises

Vários fatores podem desencadear as crises alérgicas, como pelos, poeira, cheiros fortes e outros. A dica do médico é desviar dessas situações. “Se a pessoa tiver animais de estimação em casa, o ideal é que ele tome banho ao menos uma vez por semana e mantenha a tosa em dia. Outro ponto importante é cuidar ao limpar a casa, preferir a utilização de panos úmidos a vassouras e, por fim, mas não menos importante, prestar atenção em quais cheiros desencadeiam as crises e acabar por não utilizar perfumes, produtos de limpeza, desodorantes, amaciantes e outros itens que possam exalar cheiro intenso”, ressaltou Dr. Yasser.

O profissional ainda alerta que algumas alergias são mais trabalhosas para o controle, mas o tratamento contínuo com um especialista é a forma mais eficiente de manter a saúde e evitar as crises. “Já quando o paciente estiver com crise aguda, é preciso ir até um hospital, relatar ao médico os sintomas e, depois da avaliação profissional, entrar com medicamento. É muito importante lembrar a todos que alergia é coisa séria e não deve ser medicada por conta própria”, finalizou o médico.

Fonte:

Grupo Excom

Comentários

O Portal Éder Luiz se exime de qualquer responsabilidade por comentários postados por seus leitores. Os comentários não representam a opinião do Portal e toda responsabilidade está a cargo de quem os postar.

Notícias relacionadas