Cobertura de vacinação de crianças de até 1 ano está abaixo da meta em SC

Dive-SC recomenda que pais se informem sobre imunização nos postos de saúde.

, 258 visualizações
Vacinação via oral
Vacinação via oral - Imagens: Divulgação Prefeitura/Ricardo Boni

A cobertura de vacinas recomendadas para crianças de até um ano está abaixo da meta em Santa Catarina este ano, de acordo com dados do Sistema de Informações do Programa Nacional de Imunizações (Sipni). Para a BCG e a Rotavírus, o objetivo é alcançar 90% do público-alvo. Para as demais, 95%. As metas são feitas pelo Ministério da Saúde.

Em Santa Catarina, a maior cobertura é para a meningo C, com 91,21%. A menor, para a tetra viral, com 79,76%. Confira abaixo o quadro completo:

Cobertura vacinal de Santa Catarina para crianças de até 1 ano
Cobertura vacinal de Santa Catarina para crianças de até 1 ano - Imagens: Reprodução/Sipni/Datasus

Confira abaixo contra quais doenças cada vacina protege:

  • BCG - formas graves de tuberculose
  • rotavírus humano - diarreia por rotavírus
  • pentavalente - tétano, difteria, coqueluche, bactéria Haemophilus influenzae B e hepatite B
  • pneumo 10 - doença pneumocócica invasiva para os 10 sorotipos
  • polio - poliomielite
  • meningo C - doença meningocócica tipo C
  • VTV - tríplice viral - sarampo, caxumba e rubéola
  • hepatite A - hepatite A
  • tetra viral - sarampo, caxumba, rubéola e varicela
  • FA - febre amarela

Para a gerente de imunização da Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive-SC), Lia Quaresma Coimbra, a falta de informação contribui para que o estado não esteja atingindo a meta. "Desde o desconhecimento sobre a importância das vacinas até as pessoas que não procuram se informar. Acreditam nas informações falsas, acabam acreditando em mentiras, que a vacina pode causar doenças, que não faz efeito", disse.

Além disso, o funcionamento dos postos de saúde podem dificultar que os pais levem as crianças para serem vacinadas. "O atendimento dos municípios nos horários de funcionamento não são compatíveis com os horários das pessoas. Às vezes a pessoa não tem uma flexibilidade de horário para ir no posto", afirmou a gerente.

Ela recomenda aos pais que se informem sobre o calendário de vacinação nos postos de saúde e pelos site da Dive-SC do Ministério da Saúde.

Fonte:

G1/SC

Comentários

O Portal Éder Luiz se exime de qualquer responsabilidade por comentários postados por seus leitores. Os comentários não representam a opinião do Portal e toda responsabilidade está a cargo de quem os postar.

Notícias relacionadas