Coletiva de imprensa traz detalhes sobre o crime ocorrido em Saudades

IGP falou sobre o estado que as vítimas foram encontradas e a polícia informou sobre o que apurou até o momento.

, 23.886 visualizações
Coletiva de imprensa traz detalhes sobre o crime ocorrido em Saudades

No final da tarde desta terça-feira (04), a Governadora e representantes de Segurança Pública do Estado concederam uma entrevista coletiva sobre o caso ocorrido na cidade de Saudades.

O Prefeito do município, Maciel Schneider, iniciou as falas lamentando o ocorrido e afirmou que o municio decretou luto oficial de três dias. “Nos causa muita dor saber que essas famílias perderam seus entes queridos” afirmou. 

A Governadora Daniela Reinehr manifestou suas condolências e destacou a necessidade de acolher as famílias envolvidas e informou da disponibilidade de 25 psicólogos para atender os envolvidos, bem como, reforçou sobre a mobilização de todas as forças de segurança e do Estado frente a essa enorme tragédia.

O delegado Jerônimo Marçal, afirmou que o perfil do assassino, traçado até o momento, é de um jovem era problemático, que maltratava animais, era introspectivo e passava bastante tempo no computador jogando jogos, alguns deles violentos. Ele disse que o jovem afirmava sofrer bullying na escola, tanto que não queria mais frequentar as aulas do Ensino Médio.

O jovem trabalhava numa empresa da cidade e tinha R$ 11 mil reais guardados em casa. Esse valor segundo a família era fruto do trabalho dele já que não costumava sair de casa para gastar o que recebia. A polícia conversou com os pais e a irmã. Eles afirmaram que ele era fechado, não falava muito com os familiares. Duas armas foram compradas a pouco tempo. Ele teria levado ambas para a creche mas, utilizado apenas a que é conhecida como uma "espada samurai". Até o momento não há indícios que o jovem tinha envolvimento com outras pessoas. O computador do jovem será analisado.

"Até o momento o que sabemos é que ninguém tinha ideia de que ele cometeria o crime. Vamos tentar entender o porque dele ter feito isso. Faremos o máximo que pudermos para isso" afirmou o delegado.

O delegado parabenizou a bravura das professoras que estavam no local, que mesmo em pânico se trancaram nas salas tentaram se proteger e proteger as crianças, bem como, a iniciativa dos vizinhos, que ao ouvirem gritos foram até o local e deteram o jovem.

O corpo de bombeiros informou que atendeu três pessoas , um bebê, a funcionária da creche e o assassino. O bebê e o autor do crime seguem internados. A funcionária da creche não resistiu e morreu.

O IGP informou que todas as vítimas receberam vários golpes com a arma utilizada no crime. Uma das crianças teve cinco perfurações nas costas, uma no tórax, e dois ferimentos na cabeça; outra criança teve três ferimentos no abdômen dois no tórax e um nas costas. A outra duas perfurações na costas, uma no glúteo, duas no tórax e um no abdômen na lateral direita. A professora foi golpeada duas vezes na perna direita próximo ao calcanhar e uma na perna esquerda, quatro nas costas e uma no braço esquerdo. A outra servidora, que foi a óbito após ser socorrida, teve dois ferimentos no abdômen.

A previsão é que os corpos dos mortos sejam liberados para o velório por volta das 22h desta terça-feira.

Leia também:

Comentários

O Portal Éder Luiz se exime de qualquer responsabilidade por comentários postados por seus leitores. Os comentários não representam a opinião do Portal e toda responsabilidade está a cargo de quem os postar.

Notícias relacionadas

Bebê de 1 ano e 8 meses recebe alta do Hospital da Criança neste domingo (8) – Foto: Alcebíades Santos/HC

Bebê que sobreviveu à chacina em SC deixa hospital

Depois de cinco dias internado, o menino de 1 ano e 8 meses deixou o hospital de Chapecó neste domingo (9).

Pai, mãe e dois filhos morreram no incêndio. – Foto: Arquivo Pessoal/Reprodução

Identificadas as vítimas carbonizadas em incêndio no Oeste de SC

Casal e dois filhos morreram no local; a Polícia Civil investigará as causas do incêndio.

Francielly e o esposo Ederson com os filhos Anthony (ao meio), Maria Helena no colo do pai e Miguel no colo da mãe. Foto: Arquivo Pessoal

Folga no trabalho evitou mãe de levar gêmeos a creche no dia de chacina em Saudades

Francielly Wickert e o esposo foram a escola, mas resolveram levar os filhos para casa; sala atacada era a que os gêmeos frequentavam.