Corpo do ator Jeff Machado, encontrado morto em baú, será velado em Araranguá

Cães de ator de SC ajudaram na descoberta do crime no RJ.

, 5.059 visualizações
Corpo do ator Jeff Machado, encontrado morto em baú, será velado em Araranguá

A família do ator catarinense Jeff Machado, encontrado morto dentro de um baú no Rio de Janeiro, será velado em Araranguá (SC), cidade onde nasceu e a família reside atualmente. Ele estava desaparecido desde janeiro. Seu corpo foi achado na segunda-feira (22) em uma casa alugada.

Segundo o advogado Jairo Magalhães, que representa a família, ainda não há previsão para o velório, mas o desejo dos familiares é que ocorra em Araranguá, no Sul do Estado.

“Estamos a caminho do IML para a liberação do corpo e ainda hoje vamos tratar sobre a questão do translado”, confirmou o advogado em entrevista ao ND+ na manhã desta quinta-feira (25).

O assassinato de Jeff Machado, de 44 anos, é investigado pela Polícia Civil do Rio de Janeiro. Um amigo do ator é suspeito pelo crime. Ele teria alugado a casa, onde o corpo de Jefferson foi achado dentro de um baú, enterrado a dois metros de profundidade e, posteriormente, concretado.

De acordo com Magalhães, Jeff estava com as mãos amarradas atrás da cabeça e uma corda no pescoço. Além disso, a vítima tinha marcas de estrangulamento. Outro fato que chama a atenção é que o baú onde estava o corpo pertencia ao ator.

Cachorros ajudaram na descoberta

A solução do desaparecimento e morte do ator Jeff Machado, de 44 anos, teve dois pontos fundamentais: os cães dele e a ONG Indefesos.

De acordo com a investigação, foi a partir da localização dos animais abandonados — com o uso de chips — em pelo menos três bairros da Zona Oeste do Rio de janeiro que a ONG passou a apurar de quem eram os animais. Em um primeiro momento, o objetivo era responsabilizar o dono pelo abandono. Porém, com o passar do tempo, havia pistas de que Jeff estava com algum problema, já que parecia improvável que ele abandonasse oito cães da raça Setter. As informações são do g1.

Todos os animais tinham nomes de ídolos da MPB. O primeiro a ser encontrado foi Cazuza em 30 de janeiro nas ruas de Santa Cruz, na Zona Oeste do Rio. Uma moradora entrou em contato com a ONG relatando que o animal parecia muito cansado e topou ficar com ele até que um representante fosse buscá-lo no dia seguinte.

Até então, o ator não era dado como desaparecido já que aparentemente mantinha contato com a família por meio de mensagens de texto por um aplicativo. Depois, eles descobriram que outra pessoa se passava por ele.

Em 31 de janeiro, mais um cachorro foi encontrado: Vinícius de Moraes, também em situação semelhante ao outro animal.

Já em 1º de fevereiro foram localizados Nando Reis e Tim Maia, o que despertou a desconfiança sobre o "despejo" dos cachorros em Santa Cruz. Uma pessoa informou à ONG que a Setter é uma raça restrita no Brasil e que os criadores costumam usar chips de identificação em seus animais.

Foi dessa forma que a equipe desvendou a identidade do dono dos quatro cães: o ator Jeff Machado. Ele, então, passou a ser procurado para pegar os bichos e ser responsabilizado pelo abandono.

Ainda segundo a ONG, uma pessoa teria entrado em contato se passando pelo tutor, relatando que estava viajando e que tinha deixado os bichos com uma amiga, mas eles fugiram. Porém, ao pesquisar nas redes sociais, a equipe descobriu que na verdade ele tinha oito cães da raça e passou a procurar os animais restantes.

Em 3 de fevereiro foram encontradas Elis Regina, em Paciência, também na Zona Oeste, e Rita Lee, que morreu após ser vítima de um atropelamento.

Por fim, em 4 de fevereiro, Caetano Veloso foi localizado em Campo Grande, mesmo bairro que o corpo de Jeff foi localizado nesta segunda-feira (22). Ele tinha machucados pelo corpo. Gilberto Gil, o oitavo cachorro do ator, nunca foi encontrado.

Com o encontro dos animais, a família descobriu que não era Jeff quem falava com eles pelo aplicativo de mensagens. A mãe do ator, Maria das Dores, já desconfiava por conta do modo de se expressar da pessoa, mas não tinha como provar que não era o filho ou que ele estava desaparecido.

O abandono dos cachorros foi importante para que a polícia iniciasse as buscas por Jeff, tomando como data do desaparecimento o dia 28 de janeiro. Os cães também auxiliaram na descoberta do local onde ele poderia estar.

Fonte:

ND+ / NSC Total

Notícias relacionadas