Covid e a negação: a reflexão de um artista joaçabense

Assista o clipe de “Ensaio Sobre a Barbárie” uma crítica artística e autoral que busca através da arte o conscientizar.

, 3.281 visualizações

A temática escolhida pelo compositor e artista joaçabense em seu primeiro trabalho publicado vive diariamente espalhada por todos os cantos de um certo tempo pra cá. Basta ligar a TV, ler um jornal ou abrir as redes sociais para se deparar com alguma informação sobre o tal vírus. Sim, ele existe, e não é uma mera invenção, infelizmente. Muitas pessoas já se conscientizaram e fazem a sua parte, mas ainda há quem negue. O negacionismo, perceptível em diversos locais e situações do cotidiano, instigou André Luiz a desabafar através da arte e, assim, compôs e produziu “Ensaio Sobre a Barbárie”, música e clipe compostos e produzidos, de forma independente, pelo artista.

O clipe, disponível no YouTube no canal do artista, conta a história de um personagem que, no seu mundo de isolamento, acaba tendo que entrar em contato com a imprudência do externo que insiste nada ver através de uma realidade paralela. O coletivo que vive nesse lugar é aparentemente seguro e, na ânsia de persuadir, vendam o personagem. Máscaras e vendas caem e, mesmo assim, continuam crendo e defendendo semideuses. O personagem é colocado a prova nesta realidade paralela e, convicto dos cuidados necessários, reluta como forma de alerta a si mesmo. A música também está disponível e pode ser escutada gratuitamente em plataformas digitais, tais como: Spotify, Deezer, YouTube Music, entre outras. 

André Luiz é natural da cidade de Joaçaba, Santa Catarina, atualmente é estudante do último período do curso de Licenciatura em Música na Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC). Recentemente, participou como compositor e regente convidado do festival de música Fiato al Brasile na cidade de Faenza, Itália (fev./2020). Também é idealizador e produtor do Projeto Na Teia - Artes Integradas Autorais, que acontece anualmente na cidade de Joaçaba (SC), que valoriza as artes autorais. 

Capa do Single
Capa do Single

Frases como “mesmo vendo a morte bater” e “pessoas viram números todo dia na TV”, presentes na letra da canção, trazem uma mensagem direta e forte, e tornam-se também destaques por meio do discurso do clipe conforme as cenas vão acontecendo. Já ao escutar a canção surge um estranho sentimento de leveza e felicidade, isso se dá por conta da harmonia e melodia escritas pelo compositor. André Luiz afirma que a combinação dessa dura realidade presente na letra e essa “felicidade” aparente na parte musical é um resultado totalmente premeditado, pois “esse é o sentir das pessoas que não estão se cuidando e colocando em risco a própria vida e a de quem convive, todos felizes, saem, se aglomeram, se descuidam, sentem como se tudo fosse uma grande encenação, mas os números estão aí pra constatar o quão triste a realidade é”. 

O clipe surgiu como um complemento da música e é um olhar da vivência de quem de fato cumpre o isolamento social, mas que acaba, por um instante, tendo que entrar em contato com o mundo exterior, onde muitas pessoas se descuidam e tentam convencer de fazer o mesmo. “Pessoas passam diariamente a sensação de que nada está acontecendo. A descrença e a insistência de que tudo é mera invenção ocasiona aglomerações constantes e visíveis, sem vergonha alguma. Isso é péssimo, é a afirmação da falta de empatia com o próximo. Isso me motivou a compor o ‘Ensaio Sobre a Barbárie’, um desabafo necessário ao ver tantas pessoas, inclusive próximas a mim, não terem o mínimo de cuidado consigo e com o outro”, pontua André Luiz. 

A produção

A produção independente contou com a colaboração de amigos e conhecidos. Quase toda a gravação da música foi feita em casa. De maneira individual, outros 4 musicistas interpretaram o arranjo proposto: Artur Lunardi (Bateria), Davi Matz (Violão), Diego Mattos (Baixo) e Duda Medeiros (Guitarras). Todo material foi gravado individualmente e enviado para o estúdio Butia Records em Florianópolis para mixagem e masterização feitas por Duda Medeiros. 

O clipe tem roteiro e direção assinados por André Luiz e Wlademir Vieira, que buscaram trazer para o curta um olhar diferenciado da temática. O conceito do clipe teve grande colaboração de Diego Mattos com a ideia de citar um diálogo do livro “Ensaio Sobre a Cegueira” de José Saramago. O Elenco é do grupo cênico musical Entre Mundos cuja direção está a cargo de Wlademir Vieira. As cenas foram gravadas no estúdio do curso de publicidade e propaganda da UNOESC e nas dependências do Teatro Alfredo Sigwalt, em Joaçaba. O Clipe teve direção de fotografia de Francisco Maestri e foi montado e finalizado em Florianópolis por Marcos Oliveira. 

Projetos Futuros

O lançamento da música aconteceu ainda em dezembro de 2020 e o lançamento do clipe em janeiro deste ano, em complemento do áudio. Juntos tem o intuito de, através deste trabalho, conscientizar, por meio da arte. “Se ao menos uma dessas pessoas mudar suas atitudes perante ao que estamos vivendo, posso afirmar que a arte fez o seu papel, valeu a pena”. Este é o primeiro trabalho de uma série de projetos que já estão em andamento e, logo mais, disponíveis em plataformas digitais. Em janeiro, André Luiz inicia o lançamento de seu primeiro EP intitulado “IV”, contendo 4 canções e uma série de simbologias intrínsecas. Essa produção, também independente, conta com a coprodução do amigo e músico Diego Mattos e participação de outros artistas catarinenses e de outros estados. 

Para saber mais sobre as produções do artista acompanhe através das redes sociais: 

YouTube: Ensaio Sobre a Barbárie – André Luiz

Instagram: @andreluizlns  I  Facebook: @andreluizlns

Spotify: André Luiz  I  Linktree: https://lkt.bio/andreluiz/

e-mail: [email protected]

Fonte:

Divulgação

Comentários

O Portal Éder Luiz se exime de qualquer responsabilidade por comentários postados por seus leitores. Os comentários não representam a opinião do Portal e toda responsabilidade está a cargo de quem os postar.

Notícias relacionadas