Esposa que matou homem e colocou corpo em freezer já havia pedido medida protetiva

Informação foi confirmada pela polícia. O boletim de ocorrência foi registrado em 2019.

, 12.913 visualizações
Esposa que matou homem e colocou corpo em freezer já havia pedido medida protetiva

A mulher presa na segunda-feira (21) suspeita de matar o companheiro e esconder o corpo dele dentro de um freezer em Lacerdópolis, no Oeste catarinense, havia registrado um boletim de ocorrência contra o marido em 2019. Na ocasião, relatou ter sido agredida pelo homem e pediu medida protetiva, informou a Polícia Civil.

Segundo o delegado Gilmar Antônio Bonamigo, o casal "se reconciliou" após a ocorrência e não houve novas denúncias.

Em depoimento na terça-feira (22), a professora Claudia Tavares Hoeckler, 40 anos, disse ao delegado que queria sair com as colegas de trabalho para uma confraternização de fim de ano em Abdon Batista, na Serra catarinense, mas que foi proibida pelo marido. Também alegou ter sido ameaçada de morte por ele antes de decidir agir.

O corpo de Valdemir Hoeckler, 52 anos, foi achado na noite de sábado (19), na residência em que o casal vivia. Ele estava desaparecido desde o dia 15, data em que a mulher registrou o desaparecimento.

Segundo a Polícia Civil, a suspeita confessou o crime e afirmou que agiu sozinha no homicídio.

"Alegou que ela seria morta se fosse e ela alegou que sofreu muito com as ameaças, ameaçava a sua filha, então por isso ela tomou aquela decisão. Não acreditou na força do estado para protegê-la e agiu por conta própria", relatou o investigador.

O advogado da suspeita, Marco Alencar, apontou que a morte foi motivada por supostos episódios anteriores de violência doméstica. "Para preservar sua vida, matou”, disse. Após a prisão dela, o defensor emitiu nota dizendo que a mulher "se entregou espontaneamente".

Investigação

Claudia Tavares Hoeckler confessou o crime, em depoimento na terça-feira (22), e disse que agiu sozinha. Ela relatou que matou o companheiro após dar a ele três comprimidos que fizeram o dormir.

A causa da morte ainda não foi confirmada, de acordo com Bonamigo.

"Faltam apenas algumas diligências. Neste momento, a confissão dela atendeu a expectativa de interrogatório. Serão feitas novas diligências complementares agora. Estamos aguardando os laudos [do corpo] para posterior investigação", esclareceu Bonamigo.

Fonte:

Com informações do G1

Notícias relacionadas