Estudiosos visitam cidade dos círculos misteriosos

O tema extraterrestres é polêmico e sempre gera questionamentos.

, 2 visualizações
Sem imagem
Sem imagem

O tema extraterrestres é polêmico e sempre gera questionamentos. Há quem duvide existência, e também os que acreditam e trabalham em prol de descobrir detalhes sobre os registros da passagem destes seres na terra. Baseado nisso, na última semana, uma equipe de Belo Horizonte (Minas Gerais), denominada Associação do Bem-estar Espiritual, Social e Cultural - Clínica da Alma Plus, esteve no município de Ipuaçu, no Oeste catarinense, onde há aproximadamente três anos apareceram marcas em plantações que os estudiosos do assunto acreditam ser indícios da visita destes seres.

O objetivo do trabalho realizado durante dois dias (sexta-feira e sábado), utilizando cristais, foi sentir a energia do local e buscar respostas. Heloísa Maria Altavilla, integrante deste grupo, salienta que a missão dela, juntamente com o grupo, iniciou há muito tempo, através da sua ligação com a espiritualidade e informações repassadas por entidades superiores. “Estarmos aqui significa executar um trabalho, uma missão, que está direcionada a verificar a energia deste local e também energia que foi manifestada aqui através dos fenômenos. Como muitos já sabem, avaliamos os círculos que foram deixados nas plantações, aqui em Ipuaçu. Sobre essas marcas, nós soubemos através de um congresso e também tivemos informações através de seres superiores que orientaram que viéssemos desenvolver esse trabalho”. Desde sua infância, Heloísa já presenciava alguns fenômenos que, ao longo de sua vida, continuaram acontecendo. “Uma jornada muito grande na buscas de explicações de fenômenos que aconteciam comigo me levaram a ter contato e informações diretas. A partir daí formaram-se grupos que através de orientações que recebi e experiências que todos foram passando, além de evidências, possibilitou que um grupo maior pudesse desenvolver uma missão, todos com o mesmo objetivo e a mesma clareza. Tudo isso de grande importância em nossas vidas”. Sobre os fenômenos, Heloísa define que “eles (extraterrestres) são nossos irmãos de outras estrelas e outros sistemas e que fazem parte da nossa história. Sempre estiveram conosco e inclusive o planeta sempre trouxe esses registros e evidências de comunicações e contatos que estão aqui para trazer ajuda e auxílio muito grande para nós”. Especificamente sobre o caso de Ipuaçu, a estudiosa explica que este foi um local escolhido por uma hierarquia superior. “Escolhido por uma hierarquia de luz e eu, conhecendo aqui a região, acredito que foi muito bem escolhido, porque é um local muito puro, com uma energia da natureza vibrante. Segundo informações que eu recebi, aqui foi um local escolhido pela energia e as plantações representam um local promissor, que traz alimentos e vida para as pessoas e para o planeta. Eles fizeram esses fenômenos para se comunicarem conosco e dizer que são seres de paz e harmonia. Muitas vezes, a mídia divulga esses fenômenos de forma negativa, ouvimos falar que são seres que querem trazer algum prejuízo para o planeta. Mas na verdade, podemos comprovar que esses fenômenos de Ipuaçu respeitam o local onde estiveram, pois não há nada queimado e nem nada destruído, apenas dobras nas plantações mostrando que eles possuem uma tecnologia muito grande e que respeitam a dificuldade das pessoas em interagirem com eles. Então, eles estão se apresentando para nós de uma maneira sutil e bonita, com trabalhos que mostram conhecimentos avançados, conhecimentos na engenharia e matemática sempre muito precisos, mostrando que eles têm poder e que este poder não é para destruir, mas para nos ajudar”. A falta de informação gera o medo Conforme Heloísa, a falta de informação causa o medo nas pessoas. “Eu também não tinha as explicações, mas na medida em que fui buscando, tudo foi esclarecido. É normal as pessoas terem medo do desconhecido e quando começam a receber explicações elas passam a ser mais flexíveis e depois que elas têm suas experiências, fica ainda melhor”. Heloísa ressalta que a questão do medo deve ser trabalhada, mas ela alerta que também é preciso lembrar que existem contatos nocivos. “Um exemplo disso são notícias de abduções que foram prejudiciais para as pessoas. Mas a mensagem que eu recebi da nossa fonte de luz, da nossa hierarquia planetária e grande confederação intergaláctica em missão aqui na terra, é que existe uma equipe muito grande de extraterrestres aqui na terra que são bons e estão retomando um contato definitivo com a humanidade terrestre porque isso vai acontecer de uma forma ou de outra. O que define esse contato é a postura de cada um em relação a si mesmo. As pessoas precisam aprimorar o nível de espiritualidade e principalmente o nível de sentimento amoroso e fraterno, compartilhando respeito e interesse mútuo na busca de equilíbrio entre todos os seres. Sendo assim, com certeza, esses contatos serão seguros e os seres que chamamos de extraterrestres poderão ser chamados de angelicais e arcangélicos”. Ipuaçu: um portal científico Em relação ao trabalho que desenvolve em várias partes do mundo, Heloísa explica que conta com o auxílio de uma equipe cósmica representada pela referência maior, conhecida como “comandante Ashtar Sheran”. Ele é uma manifestação do Arcanjo Miguel, mas independente dos nomes de referências, para ela, o importante são as possibilidades na transição do planeta e na missão de salvação de seres. “A equipe dele é muito grande e nos foi passado muitas informações com relação aos cristais, esse elemento da terra que é forte e inclusive é uma energia trabalhada nas antigas civilizações, quando se descobriu os poderes dos minerais. Usamos os cristais como aparelhos, como instrumentos e, nesta região de Ipuaçu especificamente, onde aconteceram os registros, detectamos que houve uma mudança de padrão vibracional e a região foi marcada e determinada. Baseado nos conhecimentos religiosos, podemos dizer que é uma região sagrada e hoje, com o conhecimento de energia, podemos dizer que é um portal científico, tecnicamente propício a fenômenos e inúmeros trabalhos”. A orientação é agradecer a Deus Conforme Heloísa, todos devem agradecer a Deus pela oportunidade de terem seus locais beneficiados por essa energia e contato. “A orientação é que as pessoas possam refletir mais sobre suas vidas, principalmente o que precisam mudar internamente. Desejamos que recebam mais esclarecimentos e que isso possa ser um grande presente de Deus em suas vidas”. Na opinião da estudiosa, Ipuaçu foi definido como um local muito importante para o planeta, uma referência e, futuramente, devem acontecer novos esclarecimentos. “É necessário que todos busquem o autoconhecimento para receber as respostas. Aqui ainda será palco de grandes fenômenos divinos”. Para ela, a principal orientação é que cada um busque a sua verdade e realmente tente entrar em contato com o plano superior que coordena todo o planeta. “De uma forma muito sutil as respostas estão chegando e trazendo benefícios e depende de cada um escolher o seu destino e sorte. Que todos procurem basear a vida no sentimento do amor, que é a chave, o principal, o amor que começa em nós mesmos, na autoestima, respeito aos valores morais, ao próximo, para que o planeta seja uma grande família e para estarmos em sintonia com os seres superiores que são o puro amor na busca de uma nova civilização”. Segundo Heloísa, uma informação muito importante e que deve ser referência para todos é que é Jesus o diretor divino, representante da confederação intergaláctica, que permite todos os fenômenos, a presença de arcanjos e seres cósmicos a atuarem no planeta em seu nome. “E eu me sinto muito feliz e honrada por fazer parte dessa equipe, intermediando junto à humanidade e ao plano superior no trabalho de salvação”, conclui.

Comentários

O Portal Éder Luiz se exime de qualquer responsabilidade por comentários postados por seus leitores. Os comentários não representam a opinião do Portal e toda responsabilidade está a cargo de quem os postar.

Notícias relacionadas