Estudo associa atividade física a melhora em resistência muscular e capacidade respiratória em pacientes que tiveram Covid-19

Pesquisadores também relatam melhora em função pulmonar.

, 329 visualizações
Estudo associa atividade física a melhora em resistência muscular e capacidade respiratória em pacientes que tiveram Covid-19

Um estudo realizado pela USP de Ribeirão Preto (SP) aponta um aumento de 35% na capacidade cardiorrespiratória e na resistência muscular em pacientes que passaram a praticar atividades físicas após se recuperarem da Covid-19.

Os resultados preliminares fazem parte de um trabalho ainda em andamento na Escola de Educação Física da universidade, que também analisa a reação de pacientes curados da doença diante de redução de taxas de oxigênio no ar. Os principais apontamentos feitos pelos pesquisadores até agora são:

  • Aumento da resistência muscular e da capacidade cardiorrespiratória em 35%;
  • Melhora na função pulmonar em 10%;
  • Aumento de massa magra e diminuição de gordura;
  • Aumento na percepção de qualidade de vida e saúde mental;
  • Melhora de marcadores bioquímicos sanguíneos

De acordo com Átila Alexandre Trapé, professor e pesquisador da USP, o estudo foi feito após ser constatada a persistência de sintomas como cansaço, fadiga e falta de ar nos pacientes da Covid-19 mesmo após o ciclo da doença.

“A gente tem casos de pessoas que estiveram internadas, que estiveram inclusive em Unidade de Terapia Intensiva, ficando de 15, 20 até mais dias utilizando respirador”, diz.

O estudo

Durante o estudo, 84 voluntários foram divididos em três grupos: os que se exercitavam respirando a quantidade normal de oxigênio; os que se exercitavam com concentração reduzida de oxigênio; e o grupo de controle, sem exercícios.

Os participantes que se exercitavam não sabiam de qual grupo eram. As pessoas foram submetidas a testes em uma bicicleta ergométrica, três vezes por semana, durante oito semanas até dezembro de 2020.

Além dos resultados associados a esse período, em fevereiro deste ano uma avaliação mostrou que os voluntários que continuaram ativos, de uma maneira geral, mantiveram os benefícios das atividades físicas, enquanto os voluntários que não fizeram exercícios não tiveram nenhum avanço.

Aqueles que pararam nesse intervalo de dois meses voltaram a ter marcadores de saúde semelhantes aos do início do estudo, o que evidencia que a prática de exercícios deve ser regular.

“Fiquei bem mal, eu cheguei aqui no projeto, não estava nem falando. Hoje, com essa ajuda deles aqui, graças à Deus nós estamos bem”, conta o mecânico Antônio José Bernardes, um dos voluntários que percebeu uma melhora após a prática dos exercícios.

Para os pesquisadores, os resultados preliminares demonstram que a atividade física pode ser uma aliada na prevenção de complicações da Covid-19. “A intervenção de treinamento físico foi bastante efetiva para a melhora do estado de saúde dessas pessoas”, afirma Trapé.

Fonte:

G1

Comentários

O Portal Éder Luiz se exime de qualquer responsabilidade por comentários postados por seus leitores. Os comentários não representam a opinião do Portal e toda responsabilidade está a cargo de quem os postar.

Notícias relacionadas

O Dr. Ricardo Villela Armênio, com 29 anos de experiência, é coordenador da disciplina de Ortodontia da UNOESC

Problemas de saúde bucal podem estar ligados a problemas de Saúde!

Especialista de Joaçaba fala sobre a pesquisa nacional de saúde bucal que mostrou avanços, mas ainda há muito o que se cuidar.

Ovo tem cerca de 70 calorias — Foto: Divulgação

Ovo: vilão ou herói em uma dieta saudável?

Rico em proteína e nutrientes, especialista defende o consumo diário do ovo.

Vídeo! Odontopediatra tira dúvidas e esclarece sobre 'língua presa"

Vídeo! Odontopediatra tira dúvidas e esclarece sobre 'língua presa"

A Dra. Leila Redante Cunha, fala sobre os procedimentos para corrigir a alteração e como é feito o teste da linguinha.