Golpe do bilhete premiado: mais de 20 suspeitos são presos em quatro estados

Um suspeito foi preso em Santa Catarina e mandados foram cumpridos em três cidades do estado.

, 1.662 visualizações
Prisões já foram realizadas em Passo Fundo neste domingo. (Rosângela Borges / Agência RBS)
Prisões já foram realizadas em Passo Fundo neste domingo. (Rosângela Borges / Agência RBS)

A Polícia Civil faz, na manhã deste domingo (7), a Operação Illusio contra um esquema criminoso identificado por lesar vítimas por meio do conhecido "Golpe do Bilhete" em vários pontos do país e, principalmente, na região metropolitana de Porto Alegre.

Os líderes moram em Passo Fundo. O trabalho está sendo realizado no domingo para garantir que os suspeitos sejam encontrados em casa, já que costumam viajar para aplicar os golpes. Foram identificadas, até o momento, 21 vítimas, com prejuízo total em torno de R$ 1 milhão.

Somente uma delas perdeu R$ 360 mil. A ação é coordenada pela delegada Luciane Bertoletti, da 3ª Delegacia da Polícia Civil de Canoas. O esquema de estelionato e associação criminosa é investigado desde 2021, sendo que 30 suspeitos com atuação em todo o Brasil são alvos de prisões na Illusio em quatro Estados: Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná e Espírito Santo.

Em Passo Fundo, serão cumpridas nove prisões preventivas, além de mandados de busca e apreensão, todos contra pessoas que seriam líderes do esquema e bem relacionadas na comunidade.

— O grupo já está na terceira geração de golpistas. As famílias que praticam o golpe têm condição financeira boa, vivem em boas casas, têm carros e são bem relacionadas na comunidade, participando de clubes —destacou a delegada.

Durante a ação, veículos podem ser apreendidos para, posteriormente, entrarem no rol de bens que ajudarão a ressarcir vítimas. Estão sendo cumpridos 43 mandados de busca e apreensão, além da execução de ordens de quebra de sigilo bancário em 25 contas.

O conhecido golpe consiste em fazer a vítima acreditar que está diante de um milionário, de uma pessoa com baixa instrução que é portadora de um bilhete de loteria premiado e que não sabe como resgatar o prêmio. Com isso, a vítima, em troca de receber como recompensa parte do prêmio, é induzida a fornecer dados bancários e um valor como garantia em benefício do portador do bilhete. Desta forma, os valores são surrupiados das vítimas que acreditavam que seriam recompensadas por ajudar o dono do bilhete a resgatar o prêmio.

Onde ocorre a operação

Rio Grande do Sul: Passo Fundo, Caxias do Sul e Farroupilha.

Santa Catarina: Balneário Camboriú, Camboriú e Itajaí

Paraná: Pinhais, São José dos Pinhais e Colombo

Espírito Santo: Vila Velha 

Fonte:

GZH

Notícias relacionadas