Mistério do desaparecimento de Orlei Lopes Duarte completa dois meses

A situação causa angústia a família e intriga a Polícia Civil que não tem nenhuma pista quanto o seu paradeiro.

, 2.912 visualizações
Mistério do desaparecimento de Orlei Lopes Duarte completa dois meses

Ainda é um mistério o motivo pelo qual Orlei Lopes Duarte, de 25 anos, saiu mais cedo da empresa em que trabalha no município de Capinzal no final da noite do dia 12 de junho e não retornou mais para a casa em que reside no Loteamento Parizotto.

O sumiço do torneiro mecânico que é natural de Marcelino Ramos (RS) completa dois meses nesta quarta-feira (12). A situação causa angústia a família e intriga a Polícia Civil que não tem nenhuma pista quanto o seu paradeiro.

A delegada Fernanda Gehlen da Silva afirma que todas as diligências possíveis já foram feitas e o andamento da investigação está na dependência do aparecimento do jovem. Enquanto não for feita a sua localização, nenhuma hipótese está descartada.

“Na medida em que forem surgindo algum elemento, alguma informação nova e que tenha relevância pra investigação ela vai estar sendo apurada e trazida para o inquérito policial”, destacou a delegada.

Desaparecimento

Orlei Lopes Duarte foi visto pela última vez no final da noite de sexta-feira (12), ao sair do trabalho. O carro dele e a chave do veículo foram encontrados próximo e em cima da ponte do Contorno Viário, em Linha Galdina, interior de Campos Novos.

Buscas

No dia 16 de junho o Corpo de Bombeiros iniciou buscas com drone, na quarta-feira (17) foi retomado o trabalho com buscas subaquáticas e terrestres, seguiu até o final da tarde de quinta-feira (18). Bombeiros de Xanxerê auxiliaram com o cão o Iron, o mesmo que atuou nas buscas por desaparecidos na tragédia de Brumadinho (MG). Porém, nenhuma pista foi encontrada e com isso as buscas foram suspensas.

Investigação

No dia 26 de junho o Grupo de Operações, Resgate e Salvamento com Cães de Concórdia esteve em Capinzal auxiliando a Polícia Civil. Conforme a delegada Fernanda Gelhen da Silva, diferente do trabalho feito pelos Bombeiros, a atividade teve a finalidade investigativa. Com auxílio de cães buscou-se identificar o percurso que o rapaz seguiu desde o local onde o carro foi encontrado abandonado nas imediações da Ponte do Contorno Viário. A polícia conseguiu estabelecer com auto grau de certeza o caminho percorrido pelo jovem, desde o momento que deixou a empresa onde trabalha no dia 12 de junho.


Fonte:

Rádio Capinzal

Comentários

O Portal Éder Luiz se exime de qualquer responsabilidade por comentários postados por seus leitores. Os comentários não representam a opinião do Portal e toda responsabilidade está a cargo de quem os postar.

Notícias relacionadas