Polícia divulga detalhes sobre o caso da médica sequestrada em Erechim

Ela foi resgatada na noite desta quarta-feira (21) e três pessoas foram presas.

, 12.927 visualizações
Polícia divulga detalhes sobre o caso da médica sequestrada em Erechim

O drama da família da médica ginecologista Tamires Gemelli da Silva Mignoni sequestrada em Erechim na última sexta-feira, 16, teve fim na noite desta quarta-feira, 21, no Paraná.

Era por volta das 23h30 min quando o prefeito de Laranjeiras do Sul que é pai de Tamires postou em seu facebook uma foto da filha informando que ela havia sido libertada.

“Valeram as orações. A Tamires acaba de ser libertada pelos grupos DEIC e TIGRE. Nossa menina está voltando pra casa” escreveu Berto Silva.

O sequestro

Tamires Gemelli da Silva Mignoni que é filha do prefeito da cidade de Laranjeiras do Sul no estado do Paraná foi raptada na sexta-feira, 16, por volta das 12h30min, após ser abordada quando entrava em seu veículo no momento que saia do trabalho na Unidade Básica de Saúde do Bairro Aldo Arioli em Erechim.

Tamires estava a bordo de uma Chevrolet Equinox de cor branca que foi localizada abandonada ainda na tarde de sexta-feira, no bairro Copas Verdes. No interior do automóvel foi localizada a bolsa com documentos da médica.

Durante o dia a polícia fez diversas diligências e analisou imagens de câmeras de segurança para identificar pistas que pudessem levar ao paradeiro da médica que é contratada do município.

Inicialmente a investigação do caso ficou sob responsabilidade da Delegacia de Repressão as Ações Criminosas Organizadas (DRACO) que é coordenada pelo delegado Gustavo Ceccon. No sábado, 17, equipes do Departamento Estadual de Investigações Criminais (DEIC) chegaram a região de Erechim para auxiliar nas investigações sobre o desaparecimento da médica Tamires Gemelli da Silva Mignoni.

Pedido de resgate

Ainda no final de semana um radialista paranaense que é irmão de Berto Silva declarou a um site local que os sequestradores haviam feito contato e solicitado o valor de R$ 2 milhões como resgate. A informação foi negada pelo prefeito de Laranjeiras do Sul em nota divulgada a imprensa. O prefeito de Laranjeiras do Sul disse também que não é verídica a informação do pedido de R$ 2 milhões de resgate pela filha. “Não confirma essa notícia que espalharam de que sequestradores teriam pedido recompensa para libertar Tamires”.

A libertação da refém

Na noite desta quarta-feira, 21, uma ação de policias do DEIC do RS e do Grupo Tigre na cidade de Cantagalo, distante 30 quilômetros de Laranjeiras do Sul, no Centro-Oeste do Paraná, deu fim no sequestro da médica Tamires Gemelli da Silva Mignoni, raptada em Erechim na última sexta-feira(16).

Segundo informações da polícia civil, três pessoas, sendo uma mulher e dois homens que estão diretamente envolvidos no sequestro foram detidos. Todos são paranaenses. Ao ser resgatada Tamires foi encontrada em bom estado de saúde e sem ferimentos.

A médica foi levada para Laranjeiras do Sul onde um comboio de viaturas policiais foi recepcionado por um grande grupo de pessoas que aguardava em frente a residência onde Berto Silva mora.

Um abraço emocionado no pai e no marido marcou o reencontro com a família.

Coletiva

A Chefe de polícia do Estado, delegada Nadine Anflor concedeu entrevista coletiva juntamente com o delegado Sander Cajal, diretor do DEIC, na manhã de hoje em Porto Alegre.

Na coletiva a delegada afirmou que os sequestradores saíram de Erechim com a refém e seguiram rumo a Itá, passando por Chapecó e finalmente chegaram ao cativeiro em Cantagalo.

Nadine Anflor afirmou que três pessoas, sendo um vigilante de banco, uma dona de casa e um taxista foram presos por estar diretamente envolvidos no sequestro.

Resgate e cativeiro

Nadine Anflor e Sander Cajal confirmaram que os sequestradores fizeram três contatos com a família e que o pedido de resgate foi de R$ 2 milhões, informação que havia sido negada em nota oficial pelo pai da médica.

A delegada afirmou que Tamires foi liberada sem que o valor fosse pago aos sequestradores.

Prova de vida

Segundo afirmação dos delegados, Tamires Mignoni chegou a falar com o pai em determinado momento do sequestro e afirmou que foi bem tratada, tinha água e comida, banheiro individual e que não foi molestada física ou emocionalmente.

Nadine enfatizou que a integração entre as polícias foi fundamental para o desfecho da ocorrência e valorizou o trabalho de inteligência das polícias.



Comentários

O Portal Éder Luiz se exime de qualquer responsabilidade por comentários postados por seus leitores. Os comentários não representam a opinião do Portal e toda responsabilidade está a cargo de quem os postar.

Notícias relacionadas