Previsão segue indicando frio muito intenso, neve, geada e congelamento na próxima semana

Massa de ar polar de grande intensidade invade o Brasil entre terça e quarta.

, 24.639 visualizações
Previsão segue indicando frio muito intenso, neve, geada e congelamento na próxima semana
Imagens: Arquivo Portal Éder Luiz

A semana que começa será influenciada pela massa de ar frio de origem polar mais forte a alcançar o Brasil até agora neste ano, mas os seus reflexos não se darão com a mesma força das últimas duas ondas de frio no Centro-Sul do Brasil. Em muitas cidades do Sul do país será o frio mais intenso de 2021 até agora, mas na maior parte das localidades do Centro-Oeste e do Sudeste as marcas do final de junho e da última semana não deverão ser batidas. No período de quarta a sexta-feira, a temperatura deve ficar entre 10ºC e 15ºC abaixo do que é normal (anomalia) no Centro-Sul do país.

O ar polar começa a ingressar no Rio Grande do Sul no decorrer da terça-feira, quando se espera que as mínimas ocorram à noite, no final do dia, quando vai começar a ficar muito frio. Na quarta-feira, o ar polar rapidamente toma conta do Sul do país e chega aos Centro-Oeste e ao Sudeste do país. Será uma “bolha” de ar gelado de grandes dimensões e que será responsável por um acentuado resfriamento em diversos estados brasileiros no meio da semana.

Modelos numéricos analisados pela MetSul seguem indicando que a temperatura no nível de pressão de 850 hPa, equivalente a 1.500 metros de altitude, que é parâmetro usado em Meteorologia para identificar o quão quente ou fria é uma massa de ar, ficaria entre -5ºC e -7ºC no Sul do Brasil. Tais valores, que não representam temperatura em superfície, só são vistos na parte meridional do território brasileiro em erupções de ar polar de grande potência como 2000, 2007, 2009 e 2012.

Esta será uma das erupções de ar polar de maior intensidade dos tempos recentes no Sul do Brasil e as marcas mínimas em algumas estações, especialmente de municípios de maior altitude, devem ficar entre as mais baixas registradas nos primeiros 20 anos deste século, mas, no geral, a onda de frio não deve superar em força as ondas de frio, por exemplo, dos anos 2000 e 2012. Mesmo assim, nos casos do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina, deve figurar entre as mais fortes da história recente.

Trata-se de uma massa de ar polar de trajetória continental com um centro de alta pressão atmosférica que vai se deslocar do Norte da Argentina para o Sul do Brasil com valores entre 1.030 hPa e 1.035 hPa. O posicionamento do centro de alta sobre o Sul do país no final da semana favorecerá mínimas ainda mais baixas com a diminuição da nebulosidade e a atmosfera mais seca.

MUITOS DIAS GELADOS EM SEQUÊNCIA

Rio Grande do Sul e Santa Catarina podem enfrentar seis a sete dias seguidos com mínimas abaixo de zero em seus territórios. De quarta até domingo que vem a tendência é que ocorram marcas negativas no Sul do país com o frio mais intenso na média do dia inteiro entre quarta e sexta. As menores mínimas devem ocorrer na sexta-feira, quando muitas cidades terão marcas abaixo de zero.

Mesmo com a presença do sol, as tardes devem ser de temperatura máxima baixa entre a quarta-feira e sexta, sequer chegando aos 10ºC em muitos municípios. A presença de nuvens, ademais, em alguns dias pode fazer com que algumas cidades de maior altitude tenham temperatura negativa ou perto de 0ºC durante todo o dia entre quarta e quinta, em particular nos Campos de Cima da Serra e no Planalto Sul Catarinense.

Grande parte dos municípios do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná deverão ter mínimas próximas ou abaixo de zero na segunda metade da semana com o amanhecer mais frio na maioria dos municípios previsto para a sexta-feira.

No Rio Grande do Sul, marcas de -7ºC a -9ºC podem ser registradas nos Campos de Cima da Serra e em baixadas da região da Serra do Sudeste e da área de Soledade. Na Serra Gaúcha e no Cenytro-Serra (área de Sobradinho), as mínimas em baixadas devem ficar entre -4ºC e -6ºC. Pontos do Noroeste gaúcho e do Planalto Médio poderão ter mínimas tão baixas no final desta semana quanto -4ºC a -5ºC.

A Campanha e a fronteira com o Uruguai podem registrar mínimas de -1ºC ou -2ºC, isoladamente se aproximando de –3ºC. Na Grande Porto Alegre, marcas de -1ºC a 1ºC no final da semana com a Capital podendo descer a 1ºC ou 2ºC, mas com marcas até 2ºC a 3ºC inferiores em regiões periféricas da cidade.

Em Santa Catarina, a segunda metade da semana deve ter mínimas extremas de -8ºC a até -10ºC em locais de maior altitude do Planalto Sul, entretanto marcas ainda menores não são descartadas em baixadas mais para o final da semana nas áreas de Bom Jardim da Serra, Urupema e São Joaquim. No Paraná, os locais mais frios devem ter, em geral, entre -3ºC e -5ºC com marcas isoladamente inferiores.

No Sul do Brasil, no momento inicial, quando da entrada do ar mais gelado entre terça e a quinta, as menores mínimas devem ocorrer em estações situadas em topos de municípios. É o que normalmente ocorre durante o processo de advecção de ar frio. No segundo momento, na sexta-feira e dias seguintes, com o centro de alta sobre o Sul do país, tempo mais aberto e vento mais fraco, as baixadas passarão a dominar as mínimas.

Fonte:

MetSul Meteorologia

Comentários

O Portal Éder Luiz se exime de qualquer responsabilidade por comentários postados por seus leitores. Os comentários não representam a opinião do Portal e toda responsabilidade está a cargo de quem os postar.

Notícias relacionadas