Quando pensar em julgar alguém, ofereça um sorvete!

Podemos impactar positivamente o mundo de muitas formas!

, 1.015 visualizações
Quando pensar em julgar alguém, ofereça um sorvete!

Quando estava no ensino médio, lembro-me de ocasiões em que meus colegas e eu fazíamos “vaquinha” para o lanche. Em algumas dessas vezes nós comprávamos sorvete e antes de soar o sinal para a primeira aula, íamos ao refeitório e pedíamos às “tias” que guardassem nosso lanche na geladeira para que não derretesse até a hora do intervalo.

Nessa época, trabalhava na escola uma servente que estava sempre com a cara amarrada. Ela era séria, sisuda, volta e meia estava brigando com os alunos nos corredores. Não demorou para que a rotulássemos como “a azeda”.

Bem, em um dos dias que levamos sorvete para o lanche, decidimos servir um copo e oferecer pra ela. Eu jamais esperaria que um gesto tão pequeno, fosse capaz de fazer algo tão grande!

Ela abriu um sorriso enorme quando oferecemos o sorvete e daquele dia em diante parecia outra pessoa. Tornou-se a “tia amigona da galera”. Sempre que nos via nos corredores nos cumprimentava, nos intervalos queria conversar conosco, até nos abraçar ela fez.

E por que eu conto essa história?

Porque ela me faz perceber que, o mundo está cheio de pessoas incríveis que se escondem em uma máscara de mal humor, seriedade, agressividade, intolerância, ou qualquer outro adjetivo negativo que possamos encontrar para descrevê-las. Penso que, talvez, elas usem essas máscaras porque já tenham sido tão machucadas que têm medo de se mostrarem como verdadeiramente são. Ou talvez, sintam-se inseguras em tirar a máscara porque têm receio de que a sua verdadeira natureza não seja aceita e aí, se é para sofrer com a rejeição, criar um personagem que faça jus a ela, pode parecer mais fácil.

A verdade é que, quando rotulamos alguém sem conhecer a sua história, negamos a esta pessoa o direito de manifestar a sua essência e quando fazemos isso com o outro, também o fazemos conosco. Os parâmetros que utilizamos para julgar quem está ao nosso redor, funcionam como diretrizes para o nosso próprio comportamento e para as permissões que fazemos a nós mesmos.

Podemos impactar positivamente o mundo de muitas formas! Em algumas situações, oferecer um sorvete já é suficiente!

Por: Cristiana Soares

Notícias relacionadas

Cultura em Cena: Lauvir Benjamin e seus Dinossauros Esculpidos com Pneus

Cultura em Cena: Lauvir Benjamin e seus Dinossauros Esculpidos com Pneus

Na coluna de hoje o produtor cultural Omar Dimbarre conta a história de criatividade do artista e suas inspirações.