Somos todos Heloísa! Campanha busca ajuda para tratamento da pequena joaçabense

A história da pequena Heloísa que luta contra Síndrome de Arnold Chiarri II e agora vê esperança em tratamento com células tronco.

, 7.279 visualizações
Fotos: Juliano da Luz
Fotos: Juliano da Luz

A gestação é um momento único na vida de uma mulher. Os dias são contados com muito amor para a tão esperada chegada do bebê. Foi assim que aconteceu com Pressila Coronetti Meyer e Roberto Meyer, pais já de um casal de filhos, que planejaram a chegada da sua princesa Heloísa.

A gestação aconteceu de maneira normal, e a cada ultrassom a alegria em poder vê-la bem e crescendo a cada dia, mas a história na vida de Pressila e de toda sua família teve uma mudança drástica com a chegada de uma notícia difícil no sétimo mês da gestação.

A família que mora em Joaçaba, recebeu o diagnóstico que a pequena Heloísa estava com Síndrome de Arnold Chiarri II (Acontece quando além do cerebelo, o tronco encefálico também se estende para o forame magno), Disrrafismo de coluna com Mielomeningocele volumosa, Hidrocefalia e Displasia de quadril.

Naquele momento o mundo desabou diante dos pais de Heloísa, que mesmo sem entender o porquê disso tudo, precisaram ser forte e enfrentar os dias vindouros com muita fé e determinação.

Heloísa nasceu de cesariana no dia 06 de maio de 2015, pesando 2,680 kg e no mesmo dia já fez uma cirurgia para correção da coluna e a sua luta estava apenas começando. A pequena precisou ficar 45 dias na UTI na cidade de Joinville onde recebeu todo o apoio necessário da equipe médica.

“A luta de Heloísa pela vida é um verdadeiro milagre. Durante os dias de UTI passamos momentos bem difíceis, eu não entendia nada da área de saúde e passei por treinamento na própria UTI, onde eu estive todos os dias ao lado da minha filha. Ela não podia ser amamentada no peito, então eu tirava o leite para poder dar a ela, e os médicos sempre me diziam que esse era o remédio mais importante na vida dela. Foram dias difíceis, e eu só pude pegar ela no colo pela primeira vez quando ela tinha 14 dias de vida”, relembra emocionada a mãe de Heloísa.

Durante seis meses Heloísa teve acompanhamento na filial da Teleton ARCD em Joinville, com fisioterapeuta, fonoaudiólogas, terapeuta ocupacional, pedagoga entre outros. Além disso deste o nascimento, diversas cirurgias e acompanhamentos com neurocirurgião, nefrologista, ortopedista, urologista, cardiologista, gastro, Neuro infantil, sem contar os diversos exames realizados nestes últimos quatro anos, alguns com resultados surpreendentes que tem dado ânimo na caminhada desta família.

Hoje Heloísa está com quatro anos e meio, usa cadeira de rodas, mas é uma menina muito esperta. Frequenta escola normalmente, além de ter aprendido a gatinhar e subir na sua cadeira de rodas sozinha.

“A Helo tem uma vida normal, sempre buscamos dar a ela o direito de ir e vir, com isso, ela se tornou independente e inclusive está fazendo aula de balé e vai se apresentar na próxima semana. Para nós é motivo de muita alegria e orgulho”, conta Pressila.

Esperança!

Desde março de 2018, Heloísa faz acompanhamento médico no Hospital Sarah Kubitschek em Brasília. Entre suas viagens Pressila conheceu Kely Cavalcante, mãe de Pedro que tem problemas parecidos com o de Heloísa, e está fazendo um tratamento com células tronco que tem auxiliado na qualidade de vida do seu filho. Diante das inúmeras dificuldades que Pressila e Roberto já enfrentaram na briga pela saúde de sua filha, e também na busca por avanços na medicina, o tratamento com células tronco reacendeu a esperança de verem Heloísa ainda melhor. Assim, conseguiram agendar para 22 de janeiro de 2020 através da Panam, Pan American Cell no Paraguai, as primeiras aplicações de célula tronco em Heloísa.

Este tratamento é de custo elevado, e pensando na qualidade de vida de sua filha, os pais de Heloísa tiveram a ideia de lançar uma campanha na internet que tem alcançado pessoas de todos os cantos. A campanha Somos todos Heloísa tem por finalidade arrecadar o valor para o tratamento, sendo que, o primeiro protocolo para as primeiras aplicações das células troncos vão custar aproximadamente R$ 80 mil. E essa seria apenas a primeira parte do tratamento, entre outras etapas que virão pela frente.

“Pedimos a colaboração de todos que possam nos ajudar na causa da Heloísa. Nossa vida foi totalmente transformada desde seu nascimento. Tivemos que aceitar e acreditar em tudo que estava acontecendo em nossa vida. No começo foi difícil mas hoje vendo o progresso da nossa menina que está sempre sorridente, só temos que agradecer pelo aprendizado e lição de vida que tivemos nestes últimos anos. Sempre buscamos o melhor para Heloísa e por isso lançamos esta campanha que tem por finalidade dar a ela uma qualidade de vida melhor. E eu acredito que já deu certo”, finaliza Pressila.

Como ajudar!

Todos os interessados em ajudar Heloísa neste tratamento, podem depositar qualquer valor na conta bancária, conforme imagem abaixo. Ou ajudar através da “Vakinha Online”, criada para a campanha.


Fonte:

Fotos: Juliano da Luz

Comentários

O Portal Éder Luiz se exime de qualquer responsabilidade por comentários postados por seus leitores. Os comentários não representam a opinião do Portal e toda responsabilidade está a cargo de quem os postar.

Notícias relacionadas