Unoesc e Receita Federal firmam convênio para aproveitamento de produtos apreendidos que seriam destruídos

A assinatura, que firmou a parceria, aconteceu na Reitoria e reuniu representantes da Universidade e da RFB.

, 338 visualizações
Unoesc e Receita Federal firmam convênio para aproveitamento de produtos apreendidos que seriam destruídos

Na tarde de terça-feira (1º de novembro), a Unoesc e a Receita Federal do Brasil (RFB), por meio da Delegacia de Joaçaba, firmaram um convênio de cooperação para a desmaterialização de bebidas alcoólicas e cigarros apreendidos, transformando-os em subprodutos que serão doados para instituições sem fins lucrativos. A assinatura, que firmou a parceria, aconteceu na Reitoria e reuniu representantes da Universidade e da RFB.

O convênio terá duração de três anos e envolverá acadêmicos e professores de grupos de pesquisa dos cinco campi da Unoesc. As bebidas alcoólicas serão transformadas em álcool em gel, etílico e geleia de vinho, produto este, até então, inédito nesse tipo de processo. O cigarro será transformado em compostagem, fertilizante e inseticida. Já as embalagens de vidro e plástico terão como destino a construção civil. Serão beneficiadas entidades sem fins lucrativos que prestam serviços à comunidade.

— Cigarros e bebidas alcoólicas são produtos que, ao contrário de outros tipos de mercadorias, não podem ser doados, nem alienados em leilão. O único destino é a destruição. Diante disso, essa parceria auxilia a Receita Federal em sua gestão logística, uma vez que, diariamente, temos uma grande entrada de produtos apreendidos em toda a região Oeste — explicou o Delegado da Receita Federal de Joaçaba, Mauro Batista Neto.

Antes da formalização do convênio, um projeto-piloto foi desenvolvido ao longo do último ano, demonstrando a viabilidade da desmaterialização dos produtos. Com a parceria firmada, a Universidade receberá um montante de mais de 500 garrafas de bebidas e mais de seis mil maços de cigarros mensalmente.

— Esse convênio qualifica a Universidade e permite que nossos acadêmicos aperfeiçoem pesquisas, podendo contribuir com a comunidade em que está inserida. Seguimos abertos a outras parcerias com a Receita Federal — afirmou o reitor da Unoesc, Professor Aristides Cimadon.

 

Fonte:

Alessandra de Barros/Ascom

Notícias relacionadas