AO VIVO: governo detalha pagamento do auxílio emergencial de R$ 600

"Em três meses, vamos gastar mais do que a programação anual de todos os ministérios", afirma Paulo Guedes.

, 1.671 visualizações

O Ministério da Economia detalha, nesta sexta-feira (3), como será pago o auxílio emergencial de R$ 600 aprovado na Câmara e no Senado e sancionado pelo presidente Jair Bolsonaro.

Segundo o titular da pasta da Economia Paulo Guedes, o impacto nas contas públicas é superior a R$ 100 bilhões.

— Em três meses, vamos gastar mais do que a programação anual de todos os ministérios — diz o ministro.

Guedes também afirmou que "nenhum país emergente fez um movimento tão rápido e com tanto volume de recursos".

— Qualquer crítica de que houve demora eu considero oportunismo político. Não considero uma coisa séria. A atitude agora é de responder os problemas — completou Guedes.

O ministro da Economia defendeu ainda que o momento é de união:

— Ali na frente, a gente volta a brigar de novo, porque democracia é barulhenta mesmo. Mas, agora, estamos tratando da saúde do povo.

Um dos anúncios mais importantes da coletiva foi o de que o governo irá disponibilizar um aplicativo para que trabalhadores informais se cadastrem para receber o auxílio. A ferramenta será coordenada pela Caixa Econômica Federal e estará à disposição a partir de terça-feira (7). Mais informações serão divulgadas na segunda (6).

Conforme o governo, quem precisa se cadastrar no aplicativo são os trabalhadores informais, como os que não estão no Cadastro Único e os microempreendedores individuais. Quem é beneficiário do Bolsa Família, por exemplo, não precisa baixar a ferramenta.

São os informais que terão de repassar dados ao governo, como endereço, conta bancária e demais informações. Após o cadastro, o Executivo afirma que irá depositar o valor de auxílio em até 48h.

— O aplicativo será super simplificado, não terá taxa ou ônus as pessoas. Será montada uma rede de proteção para quem mais precisa. O Brasil sair mais forte depois desse episódio — disse o ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni.

Fonte:

Gaúcha

Comentários

O Portal Éder Luiz se exime de qualquer responsabilidade por comentários postados por seus leitores. Os comentários não representam a opinião do Portal e toda responsabilidade está a cargo de quem os postar.

Notícias relacionadas